Tudo sobre o Sarampo

sarampo

O Sarampo está de volta com tudo, infelizmente. Após o Brasil ter sido considerado país livre de Sarampo em 2016, vivemos um surto da doença em 2018 com mais de 10 mil casos registrados, especialmente no Amazonas e em Roraima. Estamos passando novamente por outro surto, com aumento dos casos em mais de 300% no Município de São Paulo entre os meses de junho e julho de 2019.

O sarampo é uma doença grave, altamente transmissível e que não tem tratamento específico. A prevenção através da vacinação é a única forma de se proteger.

A doença é causada por um vírus do gênero Morbillivirus, da família Paramyxoviridae e é transmitida de forma direta, por meio de secreções expelidas ao tossir, espirrar, falar ou respirar. A transmissão ocorre de quatro a seis dias antes e até quatro dias após o aparecimento do exantema (manchas vermelhas pelo corpo). O período de maior transmissibilidade ocorre dois dias antes e dois dias após o início do exantema. O vírus vacinal não é transmissível.

O sarampo afeta, igualmente, ambos os sexos. A incidência, a evolução clínica e a letalidade são influenciadas pelas condições socioeconômicas, nutricionais e imunológicas do indivíduo.

As principais manifestações da doença são febre alta (acima de 38,5°C), dor de cabeça, manchas vermelhas pelo corpo, que surgem primeiro no rosto e atrás das orelhas, e, em seguida, se espalham, tosse, coriza, conjuntivite. Manchas brancas que aparecem na mucosa bucal conhecida como sinal de koplik, que antecede de 1 a 2 dias antes do aparecimento das manchas vermelhas, são bastante sugestivas da doença. A ocorrência de febre, por mais de três dias, após o aparecimento das erupções na pele, é um sinal de alerta, podendo indicar o aparecimento de complicações.

As complicações, geralmente, se instalam durante o período exantemático, mas a encefalite pode aparecer após o 20º dia do quadro. As complicações mais comuns do sarampo são infecções respiratórias, otites, doenças diarreicas e doenças neurológicas e podem deixar sequelas como diminuição da capacidade mental, cegueira, surdez e retardo do crescimento. O agravamento da doença pode levar à morte de crianças e adultos.

O diagnóstico é confirmado com a realização de exames de sangue para identificação de anticorpos específicos IgM no sangue, na fase aguda da doença, desde os primeiros dias até 4 semanas após o aparecimento do exantema e pela identificação viral na urina, nas secreções nasofaringes, no sangue, no líquor ou em tecidos do corpo.

Não existe tratamento específico para o sarampo. É recomendável a administração da vitamina A em crianças acometidas pela doença, a fim de reduzir a ocorrência de casos graves e fatais. Para os casos sem complicação o tratamento consiste em suporte clínico com hidratação, suporte nutricional e controle da febre.

A vacinação é a única maneira de prevenir a doença. O esquema vacinal vigente é de duas doses de vacina com componente sarampo (pode ser a tríplice viral ou a tetra viral) para pessoas de 12 meses até 29 anos de idade, sendo uma dose da vacina tríplice viral aos 12 meses de idade e uma dose da vacina tetra viral aos 15 meses de idade. Até 29 anos o indivíduo deverá ter duas doses. Uma dose da vacina tríplice viral também está indicada para pessoas de 30 a 49 anos de idade.

Os órgãos públicos não recomendam a vacinação para pessoas que nasceram antes de 1960, porque o grupo provavelmente já teve contato com o vírus e está naturalmente imunizado. No entanto, se quiserem tomar, não há problema ou risco à saúde.

Atualmente nessa época da surto, o Ministério da Saúde e a Prefeitura do Município de São Paulo estão fazendo uma campanha de vacinação com indicação de vacinar TODOS os jovens entre 15 e 29 anos de idade, independente de quantas doses já tiverem recebido e bebês entre 6 meses e 11 meses e 29 dias.

Essa dose em menores de 12 meses é considerada uma dose “extra” e o restante do calendário vacinal deve ser mantido, com nova dose as 12 e 15 meses de vida, sempre respeitando o intervalo mínimo de 1 mês entre cada dose.

Algumas pessoas não devem tomar vacinas, como gestantes, menores de 6 meses de idade, imunocomprometidos por doença ou medicação, pessoas com histórico de alergia grave (anafilaxia) após aplicação de dose anterior das vacinas ou a algum de seus componentes e alérgicos à proteína do leite da vaca não devem tomar a vacina Serum Institute of India, que contém traços de lactoalbumina.

A vacina é composta por vírus vivos atenuados (enfraquecidos) e as reações vacinais são febre, exantema e coriza e/ou tosse leve, e podem ocorrer entre o 4º e 12º dia em 20% dos vacinados.

A campanha de vacinação foi prorrogada até o dia 16 de agosto de 2019 e a vacina está sendo oferecida gratuitamente nos postos de saúde. Cheque sua carteirinha de vacinação e proteja-se!

 

Fonte:

  • Ministério de Saúde
  • Prefeitura do Município de São Paulo

 

Dra. Larissa Kallas Curiati é médica formada pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, com residência médica em Pediatria e Endocrinologia Pediátrica no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. Possui Título de Especialista em Pediatria pela Sociedade Brasileira de Pediatria e Título de Especialista em Endocrinologia Pediátrica pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia. Plantonista do Serviço de Pronto Atendimento Infantil do Hospital Samaritano e membro da equipe de endocrinologia pediátrica do Hospital Samaritano e do Hospital Beneficência Portuguesa. Atende em consultório no endereço que consta no rodapé deste site.

Gostou do conteúdo? Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Outros Posts:

Doença de Parkinson

A doença de Parkinson é uma doença progressiva do sistema nervoso central que acomete principalmente o sistema motor. Manifestações não motoras, como distúrbios cognitivos e

Continue Lendo »

Endereço de Atendimento:
Praça Oswaldo Cruz, 124 – Cj 61 e 62
Paraíso – São Paulo/SP
Cep 04004-903

Horário de Atendimento:
Segunda a Sexta das 9:30 as 20:00
Sábado e Domingo: Fechado

© 2019 – Todos os direitos reservados